A arte de (tentar) não ser chato nas redes sociais

Eu adquiri preguiça de discutir nas redes sociais. Porque considero infrutífero. As pessoas, de um modo geral, não estão abertas a buscar informação ou aceitar argumentos opostos. Todos querem, na verdade, apenas confirmar a narrativa que afina com suas crenças e referências pessoais.

É algo que percebo dos assumidamente radicais aos enrustidos que se dizem isentões, mas que sempre pendem pra um lado específico quando a coisa aperta. Não há espaço para reflexão, nem margem para convencimento.

Isso vale pra mim, pra você e para qualquer pessoa que vai visualizar, curtir ou comentar este post. Não há escapatória. Todos temos um lado, mesmo que a gente não perceba, e todos tentamos o tempo todo convencer as outras pessoas que ele está certo e, o pior, que o outro está absurdamente errado.

O esforço necessário que precisamos fazer é o de não nos tornarmos inconvenientes, nem agressivos, tampouco desrespeitosos uns com os outros. É difícil? É. Mas é um exercício permanente. Talvez seja o desenvolvimento da arte de tentar não ser chato.