Educação e multimeios: ferramentas digitais para otimizar os estudos

A tecnologia tem contribuído com a educação de diferentes formas: dos mecanismos de pesquisa aos fóruns de discussão, passando pela disponibilização online de artigos e rápido compartilhamento de conteúdo na Internet.

Recentemente, ferramentas como aplicativos e portais destinados com exclusividade aos conteúdos estudantis têm chamado a atenção de alunos, professores e pais. O livro Educ@r – A (r)evolução digital na Educação, do qual já falamos aqui no blog, apresenta e discute alguns aspectos que afetam profundamente a educação tradicional. Nesse cenário, o mundo virtual se mostra um grande aliado para os estudantes, desde a educação infantil até o ensino superior.

Conheça algumas dessas ferramentas:

  • Videoaulas

Na internet, há diversas opções de videoaulas, principalmente sobre disciplinas do ensino médio. Há inclusive sites especializados nesse tipo de conteúdo, como o Descomplica, com foco não só no Enem 2014, mas também nos principais vestibulares do país.

Já o EAD – Ensino a Distância – tem aumentado significativamente pelo país, é um avanço na democratização da educação e uma boa opção para quem não pode se deslocar, muitas vezes para outra cidade e entre municípios, para conseguir fazer o curso desejado. Os cursos a distância acabam oferecendo preços mais acessíveis se comparados aos cursos tradicionais (presenciais) além de comodidade, mas é preciso disciplina para manter o mesmo nível de aprendizado. Também é importante ficar atento pois a qualidade das aulas a distância deixa a desejar em inúmeras instituições, é um sistema que ainda precisa de aperfeiçoamentos. A dica é pesquisar se a instituição realmente oferece todo o suporte necessário.

  • E-books

Para economizar espaço na mochila e armazenar materiais e livros importantes, o uso de leitores digitais ou e-books tem se tornando comum entre os estudantes mais antenados. Além disso, os livros digitais geralmente são mais baratos que os livros em papel. Em sites como Domínio Público é possível fazer download gratuito.

  • Redes sociais

O uso redes sociais é uma ótima maneira de encontrar outros estudantes e compartilhar conhecimento. Há grupos que disponibilizam apostilas, simulados, notícias sobre vestibulares e editais para quem quer conquistar uma vaga em concursos públicos ou em uma universidade.

Texto do colaborador Roberto Costa
roberto.ahcnam.costa@gmail.com

MPF lança cartilha para jornalistas #Eleicoes2014

e-Book: Por dentro das eleições  2014: calendário, regras e atuação do Ministério Público Federal

cartilha_eleicoes_2014

Ter me graduado em direito antes de cursar jornalismo sempre me foi de grande valia quando trabalhei na assessoria de imprensa do MPE-PA, pois me ajudou a entender e tirar dúvidas dos repórteres e produtores acerca da atuação do órgão, dando explicações suficientes para que eles possam desenvolver corretamente seu trabalho.

Este e-book lançado pelo Ministério Público Eleitoral tem justamente esta intenção: apoiar o trabalho dos jornalistas, explicando de forma clara, objetiva e transparente a legislação eleitoral, as irregularidades mais frequentes, o funcionamento da Justiça Eleitoral e a forma de atuação do MPF.

Conheça:

 

Para quem torcer na final da Copa de 2014?

Vamos estabelecer algumas questões por aqui sobre a final da Copa entre Alemanha e Argentina.

Você pode não torcer para ninguém.

Você pode torcer para ambos.

Você pode torcer para a Argentina.

Você pode torcer para a Alemanha.

Você não precisa necessariamente ter ascendência nesses países, ter morado lá ou achar qualquer vínculo para optar por um dos lados. É apenas uma escolha e esses fatores podem contribuir, mas não devem ser excludentes.

Torcer para qualquer um desses não te torna melhor nem pior que os outros.

Torcer contra a Argentina não significa odiar os argentinos. É apenas rivalidade futebolística, como um RExPA. Você pode torcer por um time e seu melhor amigo torcer por outro sem que vocês precisem se tornar inimigos.

Rivalidade continental não é melhor, nem pior que rivalidade entre continentes. Ser América do Sul e torcer contra a Europa é UMA OPÇÃO DE RIVALIDADE semelhante ao ser Brasileiro e torcer contra a Argentina, ok? Só numa escala maior. E ninguém é menos consciente, inteligente ou capaz por optar por qualquer uma dessas ALTERNATIVAS de rivalidade.

Torcer para a Argentina não te torna menos brasileiro ou mais argentino.

Torcer para a Alemanha não te torna menos sul-americano ou mais europeu.

Torcer para a Argentina não significa torcer para o Paysandu, apesar da camisa ser parecida e torcer contra a Argentina também não significa torcer para o Remo. São instituições MUITO diferentes.

Torcer para a Alemanha não é ~síndrome de Estocolmo~. O massacre deles não foi mais do que resultado do trabalho deles, nosso objetivo de impedi-lo ou impor nosso futebol é que foi frustrado por deficiências nossas.

Se você repreende alguém que torce para mais de um time, o chamando de ~torcedor misto~, não ganha ~imunidade~ na Copa. Torceu para a Alemanha ou para a Argentina, é misto da mesma forma. Entendeu? E isso não significa ser melhor ou pior. É apenas uma opção.

Torcer contra a Argentina não te impede de amar o país, apreciar suas cidades e gostar de seus habitantes.

Torcer contra a Alemanha não te impede de amar o país, apreciar suas cidades e gostar de seus habitantes.

Lembre-se que apesar de tudo é apenas um torneio de futebol. Muita gente ficou triste e muita gente ficará feliz, mas é apenas uma competição, a maior de todas neste esporte, mas ainda assim, uma competição.

E futebol não necessariamente precisa estar associado à razão. O importante é apreciar este belo e histórico jogo, torcer e ser feliz.

[publicado originalmente no Facebook]